Quais tipos de faculdades que existem?

Quais tipos de faculdades que existem?

Municipais, estaduais, federais, particulares e até militares. Descubra aqui nesse post quais são os tipos de faculdades que existem.

Quais tipos de faculdades existem? As classificações são por esfera de atuação, como municipais, estaduais e federais. Ainda existem as militares e as particulares. Aqui nesse conteúdo, vamos falar mais sobre cada uma dessas categorias.

Para começar, o que é uma faculdade? Muitas pessoas confundem com as universidades e até com os centros acadêmicos quando, na verdade, são instituições de ensino que possuem cursos em áreas especializadas.

Em termos práticos, isso significa que o leque de graduações é menor. Normalmente, as faculdades apresentam os cursos clássicos, na área de Saúde, Engenharia, Comunicação Social, Economia e Administração. Um ponto que as diferenciam das outras instituições de ensino é a necessidade de solicitar autorização do MEC para criar novas graduações.

Agora que esclarecemos esses pontos, podemos falar sobre cada um dos tipos de faculdades que existem no Brasil. Vamos lá.

Quais tipos de faculdade existem?

Municipal

Na maioria das vezes, quem sai do Ensino Médio tem em mente apenas dois tipos de graduação: as públicas, geralmente federais ou estaduais, ou as instituições privadas. Entretanto, um modelo vem se consolidando nos últimos anos: as faculdades municipais.

São autarquias e fundações que seguem as mesmas normas das universidades públicas, como professores contratados por concurso, processo seletivo feito por prova e critérios de avaliação estabelecidos pelo MEC.

A diferença está na maneira com que mantém as suas atividades, financeiramente: por meio da cobrança de mensalidades – com um valor simbólico. Isso porque, por serem uma autarquia, as faculdades municipais reinvestem na própria estrutura.

Estaduais

As faculdades estaduais são mantidas com o dinheiro público e, por isso, oferecem cursos de graduação públicos. Por isso, os campi ficam apenas nos estados da origem dos recursos. Algumas possuem programas de pós-graduação, no entanto, com cobrança de mensalidade.

O processo de seleção acontece por meio de vestibulares das instituições e são muito concorridos. O ingresso pode ser com a nota do Enem ou ainda via Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Algumas ainda apresentam sistema de cotas.

Federais

Assim como acontece com as faculdades estaduais, as federais recebem verbas governamentais, no entanto, da União. Dessa maneira, oferecem cursos de graduação mantidas com recursos públicos. Porém, os cursos de pós-graduação costumam ser pagos.

Por serem financiadas pelo Governo Federal, os campi são em diversas unidades da federação. O sistema de ingresso também é diferente: pelo SiSU, com o aproveitamento das notas do Enem. Somente algumas instituições possuem vestibular. As faculdades federais são obrigadas pela lei nº 12.711 a disponibilizar parte das vagas para cotas.

Militares

Assim como acontece em muitos países, o Governo Federal e o comando das Forças Armadas investem uma parte da verba em educação. Aqui no Brasil, existem vários tipos diferentes de formação na carreira militar e quem quer servir ao exército tem acesso ao ensino superior.

Assim como as outras faculdades, os cursos nas academias militares duram em média quatro anos. A diferença é que são realizados em regime de internato, ou seja, o aluno dorme na escola e vai para casa aos finais de semana e feriados.

Particulares

Seguindo a mesma linha de raciocínio, a faculdade particular é uma instituição de ensino mantida pela iniciativa privada. No entanto, existe fiscalização por parte do Governo para a garantia da qualidade do ensino. Um curso que não possua certificação do Ministério da Educação (MEC), por exemplo, não tem nenhuma validade no mercado.

Apesar de existir um custo envolvido, as faculdades particulares tornaram-se opções viáveis porque contam com uma grade curricular bem segmentada e uma estrutura organizada. Ou seja, quem entra em uma faculdade privada sabe que se formará no período previsto.

Além disso, ao contrário do que muita gente pensa, a faculdade particular possui um quadro de professores altamente qualificado, com no mínimo, pós-graduação lato sensu (especialização). Por serem mais acessíveis, são as melhores opções. Ainda existe a possibilidade da graduação ser EaD, recomendada para quem busca uma flexibilidade de horário.

Gostou dessas dicas para mandar bem durante a nova fase da sua vida? Que tal comentar e começar a acompanhar o blog da Unicep! Continue conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *