Faculdades particulares e empregabilidade: o que preciso saber?

A cada ano que passa, vemos ainda mais as instituições de ensino particulares dominando o ranking entre as melhores universidades do mundo. No entanto, os brasileiros ainda apresentam certo receio em relação às universidades privadas, que alguns, por desconhecimento, acabam classificando como de “segunda linha”.

Apesar disso, o mercado de trabalho discorda. “Preferimos um bom aluno de uma faculdade considerada ‘de segunda linha’ a um aluno medíocre de uma faculdade de primeira linha”, revela Mônica Santos, responsável pelo RH do Google América Latina, em entrevista. De acordo com o site Último Segundo, essa afirmação reforça o quanto as instituições particulares têm conseguido reverter esse receio popular.

Se você também possui dúvidas sobre o nível de empregabilidade que uma universidade particular pode proporcionar, fique tranquilo, preparamos um post especialmente para você logo abaixo.

Facilidade para ingressar no Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho absorveu uma maior quantidade de alunos do ensino superior particular no estado de São Paulo. Juntos, somam 90% dos funcionários recém-formados e 93% daqueles com até 25 anos, das grande empresas do estado. Os dados chamam a atenção, pois a faculdade particular responde por 74% das matrículas de graduação no Brasil e por 86% no estado de São Paulo.

E se levarmos em conta todos os profissionais e não somente os mais jovens, mas contarmos também os funcionários do médio ou do alto escalão das organizações, o percentual de formados em instituições privadas é de aproximadamente 86%.

Todas essas informações foram reveladas por uma pesquisa feita pelo Semesp (Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior no Estado de São Paulo), que quantificou o impacto do ensino superior na carreira profissional. Ao todo, foram ouvidos 1.431 profissionais das principais empresas de São Paulo, sendo que 724 deles eram recém-formados ou jovens profissionais.

Aprender o necessário para o mercado de trabalho

Para diferenciar, de uma maneira simples, a universidade pública da particular, podemos dizer que a pública é mais indicada para pessoas com menos compromissos cotidianos na vida. Isso porque, para estudar em uma instituição pública, a exigência de tempo de estudo e envolvimento com a vida acadêmica é maior, como o trabalho envolvendo as pesquisas científicas.

No caso da particular, por isso, é ideal para quem possui pouco tempo disponível e já está inserido no mercado de trabalho.

Ao contrário do que o senso comum acredita, a história de que a universidade pública fornece formação melhor que a privada não é verdadeira. Um dos motivos que comprova isso é que muitos professores dão aulas em ambos os tipos de instituição.

O que muda no caso é a disponibilidade do aluno para aprender, como disse antes, a particular precisa se moldar ao estudante, que por vezes já possui trabalho e por isso conta com pouco tempo para se dedicar à formação, esse pouco tempo faz com que a universidade particular se adapte e prepare o conteúdo para que o estudante possa focar somente naquilo que for precisar no mercado de trabalho.

Estrutura

Universidade particulares oferecem uma ótima estrutura para quem deseja trabalhar na sua área, pois já no segundo semestre é possível participar de programas de estágio, que facilitam o contato entre estudantes e empresas parceiras.

Os alunos não só conseguem estágio, como também recebem acompanhamento da faculdade durante esse período. Lembrando, inclusive, que a maioria desses estágios são remunerados.

Por terem aulas em somente um turno, os estudantes podem se dedicar mais ao aperfeiçoamento profissional quando não estão nas aulas.

Os equipamentos geralmente são de ponta, recursos de multimídia e laboratórios bem equipados são melhores nas faculdades particulares, proporcionando aulas práticas mais eficazes e mais conforto aos alunos.

Grade constantemente atualizada

Como já foi dito, as universidades particulares costumam voltar seu ensino para o mercado de trabalho. Para se manter alinhadas com o mercado profissional, essas instituições mudam constantemente suas grades curriculares, o que não deve ser visto como um problema pois o mercado de trabalho sofre mudanças o tempo todo e é essencial estar preparado para elas.

Isso faz com que seu currículo esteja sempre de acordo com as últimas novidades do mercado de trabalho, dando mais prestígio e peso na hora de uma entrevista.

Preparado?

Agora você sabe que cursando uma faculdade particular, seu futuro no mercado de trabalho pode ser promissor e bem sucedido. Além de uma série de vantagens, você consegue trabalhar enquanto realiza o curso, assim, se tornando um profissional mais experiente e bem preparado para ocupar uma vaga de interesse.

Ficou interessado e quer começar a fazer faculdade? Então não deixe de ler nosso post sobre testes vocacionais. E caso já tenha um emprego, mas não sabe se vale a pena fazer faculdade, confira nosso post e descubra se vale a pena começar uma faculdade se já está trabalhando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *