Escolhendo a carreira: “Ganhar dinheiro” ou fazer o que gosta?

Finalmente chegou o momento mais importante da sua vida e você deve decidir qual carreira irá seguir. Acontece que esse momento te faz enfrentar o dilema de decidir entre seguir uma área que será bem remunerada e que te “dará” muito dinheiro ou fazer aquilo que gosta.

Assim que você sai da escola, muitos pensamentos e inseguranças irão encher a sua cabeça, pois começar essa nova etapa da sua vida traz consigo muitas responsabilidades e decisões. E as escolhas que fizer agora, vão perseguir você por muitos anos, independente de como esteja sua vida no futuro.

Ninguém foge desses dilemas, mas não se preocupe, nós preparamos um texto que irá te ajudar a chegar em uma resposta para essa dúvida. Vamos lá?

Escolhendo a carreira por dinheiro

Vamos mostrar um dos fatores que, de acordo com o psicólogo Felipe de Souza do site Psicologia Msn, quase todas as pessoas levam em consideração na hora de escolher uma faculdade: a área dá ou não dinheiro? É possível viver bem com a média salarial?

Obviamente, o salário que podemos ganhar em uma profissão é um dos pontos que devemos pensar com cuidado. O problema, no entanto, é quando este é o único fator que é levado em conta. Outro problema é a preocupação com o número de vagas que estão sendo abertas no curto e médio prazo.

O mercado de trabalho é extremamente dinâmico e se existem tantas vagas hoje, amanhã quando estiver com o diploma em mãos, pode ser que todas aquelas vagas tenham sido preenchidas.

É bem possível que milhares tenham tido o mesmo pensamento que você e investido também naquela formação específica. Então, daqui uns anos, pode ser que ao invés de existir milhares de vagas em aberto, exista no lugar um quadro de milhares de candidatos e vagas já preenchidas, dificultando a busca por emprego.

Apesar disso, a Catho, um grande site de empregos, diz que os pais e até mesmo os professores da escola às vezes não orientam corretamente quem está com essa dúvida e preferem que essa pessoa faça algo “seguro”, algo que com certeza daria dinheiro para sobreviver.

Indicam carreiras que por vários anos têm sido sinônimos de estabilidade financeira e status para as famílias, porém, será que vale a pena mesmo trabalhar em algo que você não gosta ou que deixe você desapontado e triste por não ter aproveitado melhor seu tempo?

Saiba que sempre há campo suficiente para você se destacar no mercado independente da profissão que decida seguir.

O que você gosta de fazer?

Antes de falarmos sobre fazer o que se gosta, precisamos primeiro descobrir o que você gosta de fazer e para quais áreas você tem mais aptidão e o melhor jeito de saber isso é fazendo um teste vocacional.

Ele fará uma análise dos seus gostos e preferências para descobrir se você possui habilidade ou inclinação para exercer uma atividade em determinada profissão. Assim, se você gostar muito de desenhar, terá uma tendência para as artes, ou seja, possui uma vocação para tal.

Fazer o que gosta

Bom, agora você deve saber mais ou menos quais são suas áreas de interesse e em quais carreiras você se daria bem.

Quando chega o momento de fazer a escolha, a pessoa costuma pensar em tudo o que gosta de fazer e começa a sonhar em trabalhar e viver de seu sonho. E por isso, pode começar a pensar que por estar fazendo o que gosta, será feliz porque terá à sua disposição o prazer de praticar seu hobby, juntando a vocação com a carreira.

Mas temos que destruir a magia desse pensamento e lembrar que mesmo o que nós gostamos tanto pode ficar chato ou entediante quando somos obrigados a fazer. Uma coisa é gostar de tocar guitarra, outra é ter o dever de tocá-la todos os dias.

Isso pode fazer seus sonho parecer menos interessante. Então você deve evitar escolher uma carreira sem considerar os aspectos financeiros, pois pode passar por problemas de falta de recursos, e com essa falta de dinheiro, também vem a frustração.

Mas então, qual é a melhor opção a ser seguida?

É possível ganhar dinheiro e fazer o que se gosta?

Se uma coisa é feita com paixão e entusiasmo, se temos um interesse verdadeiro, então acabamos nos tornando especialistas com mais facilidade. Ou melhor, com esforço mas com prazer e vontade de seguir em frente.

Quando possuímos essas características, nos destacamos da maioria nessa atividade e, com isto, a chance de ganhar mais dinheiro começa a surgir.

O problema de decidir qual carreira irá seguir com base apenas em dinheiro é que não percebemos que teremos que trabalhar na área durante muito tempo e isso pode se tornar uma tortura, fazendo do dinheiro, um fardo que vem em troca de muito esforço.

Já o lado ruim em escolher algo apenas porque se gosta é que com essa opção você deixa de lado algo muito importante como a economia, podendo assim vir a ter problemas financeiros no futuro.

Quem trabalha com o que gosta, no entanto, deseja especializar-se ainda mais pelo puro prazer de evoluir dentro de uma determinada função. Um profissional de marketing que ama sua profissão não fará um curso de marketing digital, por exemplo, apenas para ganhar um aumento, mas sim para avançar ainda mais em sua área de atuação.

Invista em seu talento sempre e será um profissional com boas chances de ser bem remunerado. Como resultado, você absorverá o conteúdo de maneira muito melhor, já que tem interesse de verdade naquilo e investiu todo seu tempo aprimorando determinada habilidade.

Conclusão

É indispensável que haja um equilíbrio entre ganhar dinheiro e fazer o que gosta para que você obtenha uma carreira mais satisfatória.

Gostou dessas dicas e já quer começar uma faculdade? Veja também essas 7 dicas para se preparar para o vestibular ainda em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *