Como estudar melhor e aprender mais rápido? Confira nossas dicas

Como estudar melhor e aprender mais rápido? Confira nossas dicas

Com essas dicas, você vai aprender a como estudar melhor, aprender mais rápido e dar um grande passo a mais rumo aos seus sonhos. Confira!

Hoje, você acordou motivada e empolgada. Cumpriu suas atividades e quando sentou-se para estudar, tinha certeza de que seria um dia produtivo. No entanto, assim que leu as primeiras linhas, bateu um desânimo.

Então, começou a mexer no celular. Quando se deu conta, tinham passado-se quase duas horas. A tarde estava chegando ao fim e você não estava nem no começo da matéria. O resto do dia foi arrastado, lendo várias vezes a mesma frase e terminou com a sensação frustrante de que não tinha aprendido nada.

Um pausa nesse momento para trazer duas reflexões sobre essa situação:

  • Existirão dias em que as coisas não irão caminhar da maneira que você gostaria.
  • Não desanime, tudo é aprendizado. Observe o que pode ser mudado, reformule e tente de novo.

Caso você sinta-se perdida e não saiba muito bem o que deu errado, esse post vai mostrar uma luz. Aqui, separamos dicas de como estudar melhor e aprender mais rápido. No final, você terá informações importantes para melhorar a sua rotina de estudo e diminuir suas frustrações.

Boa leitura!

Como estudar melhor? Confira essas dicas

Dica 01: faça ligações entre os estudos e a vida profissional

É difícil manter a motivação lá em cima a ponto de concentrar-se nos seus afazeres. Para isso, é interessante relembrar o seu propósito para dedicar-se aos estudos. Ou seja, conectar o seu esforço no presente com o impacto na sua vida profissional futura.

Entender a relação entre estudo e vida profissional traz entusiasmo. Graduar-se no ensino superior resulta em um aumento de 156% nos rendimentos, segundo relatório divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Além disso, a pós-graduação pode aumentar o salário em 118%. Tenha em mente de que estudar é o caminho para conquistar melhores oportunidades e avançar na trajetória profissional. E assim, vai encontrar motivação para persistir.

Dica 02: não utilize celular e redes sociais

Esse mesmo entusiasmo te manterá longe das redes sociais. Essa é uma das maiores dicas que podemos oferecer: fuja dos tomadores de tempo. O celular é o grande inimigo da concentração nos dias atuais.

Distanciar-se das distrações aumenta seu desempenho e otimiza seu tempo. Em outras palavras, ficar menos tempo nas redes sociais acrescenta em mais horas no seu dia. Existem aplicativos para ajudar nessa missão, aqui vamos recomendar dois:

Focus Booster: o app ajuda a implementar a técnica de gestão de tempo chamada de Pomodoro, palavra italiana para “tomate”. Para entender, mentalize o fruto e o divida em quatro partes iguais.

Cada uma dessas fatias corresponde a 25 minutos de concentração ininterrupta com intervalos de cinco minutos entre elas. Quando completar os quatro pedaços, você termina um “pomodoro” e, assim, conquista o direito de descansar por um período mais longo.
RescueTime: o app apresenta relatórios de dados como o tempo gasto em cada site e/ou rede social. Assim, você consegue identificar onde está perdendo mais horas e ajustar para sua rotina.

Realmente, é impactante descobrir você passa quatro horas por dia no Facebook. Essa informação pode ser um gatilho para algumas mudanças de comportamento.

Dica 03: descubra seu horário mais produtivo

Cada indivíduo é produtivo em um horário específico do dia. Assim, descobrir em qual momento você desempenha melhor suas atividades traz benefícios significativos para seu desempenho. Para descobrir, atente-se a sua rotina. Questione-se:

  • Quais os horários são mais produtivos?
  • Em qual momento eu fico mais cansado?
  • Quando eu sou mais criativo?
  • Em que hora minha motivação cai?

Essas perguntas te ajudarão a definir se você é uma pessoa matutina (acorda cedo e com facilidade) ou vespertina (mais ativas à tarde e no início da noite). Você ainda pode ser indiferente (possuir facilidade de adaptar-se à novas rotinas).

Dessa forma, você pode aproveitar seus picos de foco e criatividade tendo resultados como estudar melhor e um aprendizado mais rápido.

Dica 04: faça um planejamento (e siga)

Para conseguir um bom desempenho nos estudos é essencial fazer um planejamento. Elaborar um cronograma e conciliar com seus compromissos é importante para atingir seus objetivos na vida.

Para isso, basta criar um calendário, separar as horas ocupadas com trabalho ou aulas, e depois, verificar quais horários sobraram. Então, preencher com suas horas de estudo.

Tente encaixar sua aprendizagem no momento mais produtivo do dia. Depois, defina em o que será estudado naquele horário em cada dia da semana. E então, siga. Mesmo que sobre apenas uma hora por dia para os estudos, não desista: com dedicação e foco você conseguirá atingir um bom rendimento.

Uma forma de criar um cronograma dinâmica é intercalar os temas estudados. Vamos falar mais sobre isso a seguir:

Dica 05: intercale os temas estudados

Na hora de criar seu cronograma de estudo, tente intercalar os temas estudados. Um erro comum é dedicar um dia exclusivo para uma matéria. Pode parecer uma boa ideia a primeira vista, no entanto, na prática traz fadiga e dispersão.

Isso porque o cérebro mantém uma única forma de processamento das informações. O estudo fica engessado e de modo automático. Para evitar isso, é aconselhável fazer exatamente o oposto! Mesclar os conteúdos mais básicos com aqueles mais complexos estimula a mente.

Como aprender mais rápido: saiba como

Dica 01: evite a “curva do esquecimento”

Se você assistir a uma aula hoje pela manhã, no fim do dia vai lembrar em média, 75% do conteúdo; Cerca de 24 horas mais tarde, será capaz de recordar 50% da matéria. Passados 30 dias, se lembrará de 3% a 5% do que foi visto.

Esse processo foi estudado e detalhado pelo filósofo alemão chamado Hermann Ebbinghaus e nomeado como Curva do Esquecimento. É possível ver
graficamente a queda da retenção das informações versus o período de tempo.

Inerente a todos os seres humanos, esse fenômeno é absolutamente normal. Para quebrar a curva, é recomendado revisar os conteúdos de tempos em tempo e colocá-los em prática. Como? Você saberá nos próximos itens.

Dica 02: vá além do resumo, faça um fichamento!

Revisar quebra a curva do esquecimento. Uma boa forma de fazer isso é por meio do fichamento. Essa é uma técnica para memorizar os pontos mais importantes dos textos, fazendo resumos e uma ótima dica de como estudar melhor.

Para isso, vá criando tópicos em fichas, sobre o assunto que está lendo, como cartas de um jogo, por exemplo. É uma maneira de sintetizar o texto e prepará-lo para futuras consultas.

O fichamento é uma boa ferramenta inclusive para ser utilizada na vida universitária, possibilitando fácil acesso à informação que se busca.
Funciona como um catálogo sempre disponível!

Dica 03: faça simulados

Colocar em prática os conhecimentos é outra maneira de interromper a curva do esquecimento. Os simulados são fundamentais nesse aspecto porque fornecem uma noção geral de como a prova é aplicada.

Além disso, aumentam a segurança e diminuem a ansiedade. Mesmo quem domina bem os conteúdos, pode ter dificuldades na hora de resolvê-los na vida real.

Os simulados existem justamente para evitar isso e comprometer a tão sonhada aprovação. Por isso, uma das principais dicas é fazer simulados.

Pronto! Seguindo as primeiras cinco dias, você vai conseguir concentrar-se e melhorar o seu desempenho no estudos. Com um cronograma bem definido, dia após dias, sentirá uma profunda sensação de bem-estar. É gratificante cumprir as nossas tarefas. Utilize essa energia a seu favor e motive-se para os próximos dias.

Descobrir mais sobre os processos de aprendizagem pode produzir algumas ideias novas e epifanias de como aprender melhor. Aposte na revisão e dos simulados para interromper a curva de esquecimento. Lembrar-se do conteúdo sempre é entusiasmante.

Para finalizar, uma dica extra: escute músicas enquanto estuda. Ajuda na memorização e a assimilação do conteúdo, benefícios comprovados por meio de diversos estudos científicos, como da Universidade de Caen, França.

Além disso, há indícios de 12% aumento na capacidade de concentração e da retenção. Outras vantagens são: controle da ansiedade, habituar-se com ruídos externo e estimular a concentração mesmo em situações adversas. Por isso, não hesite e experimente!

Gostou dessas dicas? Aqui no blog da Unicep você encontra orientações para tornar seus estudos mais eficazes, por exemplo, como os podcasts podem te ajudar. Explore!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *